Artigos por Autor/Categoria

Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

Legenda da segunda parte do filme 

Parte II

Todo o mundo é um Palco

“É como se uma equipe de demolição lá estivesse e estivesse demolindo um edifício velho”. “Parece uma daquelas cenas de um edifício a ruir sobre si mesmo, como se tivesse dinamites colocadas estrategicamente. Quem já viu um edifício ser demolido intencionalmente, sabe que acontece algo assim. Tem que se ir às infra-estruturas do edifício e arrebentá-las” (ABC). “A forma como estruturas caíram... isso foi o resultado de algo que foi planejado. Não foi por acidente que a primeira e a segunda torre caíram, exatamente da mesma maneira” (CNN). "Como o conseguiram, nós não sabemos. O edifício se abateu e se transformou em pó. Não encontramos uma secretária, uma cadeira, um telefone ou um computador.  A maior parte que encontrei de um telefone foi um teclado, e era assim desse tamanho (cerca de 10cm)” (Joe Casaliggi).

“O que acontece ao cimento?  Rios e rios de pó, de 5 ou 6 cm de altura. O cimento foi simplesmente... pulverizado!” (CNN.com). “Algumas imagens que temos visto demasiadas vezes na televisão, nos levam a crer que o edifício foi deliberadamente destruído por dinamite, estrategicamente colocada para o abater”. “Como se tratasse de detonações, colocadas para mandar abaixo o edifício, boom, boom, boom”. “Eu ouvi uma segunda explosão”. (NBC) “Foi uma explosão muito forte”. (bombeiro) “Houve uma segunda explosão e depois o conseqüente colapso” (bombeiro). “... uma explosão que nos arrasou por completo.” (ABC) “Para mim soou como uma explosão”. (Fox News) “Parecia um tiroteio, bang-bang. E de repente três grandes explosões”. (sobrevivente) “... e ouvimos uma grande explosão a descer”. (WCBS) “...e de repente todo o topo do edifício arrebentou”. (CNN) “Vimos uma espécie de explosão... pela força das explosões...” (Five) “... grande explosão... e arrebentou com o oitavo andar”. (testemunha) “... e fomos para o átrio, onde se ouviu uma grande explosão”. (sobrevivente) “O átrio tinha o aspecto de como se uma bomba lá tivesse explodido”. (sobrevivente) “...uma grande explosão, e chovem detritos”. “...ouve uma grande explosão...”. (WUSA) “Grande explosão que todos ouvimos e sentimos”. (Fox News) “...acabamos de testemunhar um tipo de explosão violenta... uma explosão muito forte e ensurdecedora”. (CNN) “...fumaça e uma segunda explosão na Torre 1...” “...que há uma outra bomba a explodir. Ele pensa que na verdade haviam dispositivos colocados na torre”.

O Mito do 11 de setembro: 19 piratas, dirigidos por Osama Bin Laden, apoderaram-se de quatro aviões comerciais e, enquanto escapavam ao Sistema de Defesa Aéreo (NORAD), atingiram 75% dos seus alvos. Por sua vez, as torres 1, 2 e 7 do World Trade Center desabaram devido a uma falha estrutural causado pelo fogo num efeito ‘panqueca’, enquanto o avião que atingiu o Pentágono se vaporizou por completo devido ao impacto, bem como o avião que caiu em Shanksville. A comissão do 11 de setembro concluiu que não houveram avisos para este ato de terrorismo, enquanto múltiplas falhas governamentais impediram uma defesa adequada.

1.       “não houveram avisos...”

“Eu penso que ninguém poderia prever que poderiam tentar usar um avião como um míssil, um avião desviado como míssil”. (Condolezza Rice) “...ninguém no nosso governo pelo menos, e penso que ninguém no governo anterior pudesse ter previsto pilotar aviões contra edifícios”. (George W. Bush) “Nenhuma ameaça específica, envolvendo uma operação ‘caseira’, envolvendo o que aconteceu, obviamente... cidades, linhas aéreas, etc...”  “tanto quanto sei, não houveram quaisquer sinais de aviso”. (FBI)

USA Today relata que dois anos antes dos ataques de 11 de setembro a NORAD conduziu exercícios usando aviões desviados como armas, e um dos alvos era o World Trade Center.

Capa do manual de Resposta da FEMA (1997) mostra o WTC associado a ataques terroristas. Operação “Mascal” de outubro de 2000, foi uma simulação de um avião colidindo com o Pentágono. New York Times, 2002, publica que em documentos confidenciais filipinos, obtidos pela CNN, o plano era claro: “embarcará em qualquer avião comercial americano, controlará o cockpit, e mergulhará no quartel da CIA... outros edifício apontados: o Pentágono e o WTC”.

Segurança e contra-terrorismo davam sinais de estar no vermelho, nas palavras de George Tenet, que os avisos de um ataque eminente eram tão sérios, que algo dramático deveria ser feito.

Tratava-se de algo sem paralelo. Em vez disso, o nosso presidente saiu de férias prolongadas!

2.       Dezenove Piratas

O cérebro dos Serviços Secretos Paquistaneses (ISI), Mahmood Ahmed, pediu a Omar Sheikh que emprestasse 100 mil dólares a Mohamed Atta, o principal pirata. Mohammed Atta recebeu a transferência via Paquistão. O homem que enviou o dinheiro a Atta acredita´se ser Ahmed Omar Saeed Sheikh. Omar Sheikh admitiu ter sido apoiado pelos Serviços Secretos Paquistaneses (ISI). Mas nunca foram analisadas as razões pelas quais o general Ahmad ordenou que 100 mil dólares fossem enviados a Mohamed Atta.

Na manhã de 11 de setembro, oficiais do governo estavam almoçando com o general Ahmad em Washington. A comissão do 11 de setembro julgou o financiamento dos ataques como “de pouca importância” no seu relatório oficial. Como nos foi dito que quatro ou cinco dos alegados piratas estavam em cada um dos vôos, então, nesse caso, os seus nomes deveriam estar no relatório de vôo, mas o relatório de vôo que nos foi entregue não contém nem os nomes dos alegados piratas, nem nenhuma espécie de nome árabe. Nós sabemos que os homens que supostamente seriam os piratas tiveram as casas, carros e cartões de crédito pagos pelo Governo Americano. Eles eram, na verdade, agentes. Há também provas que foram aparentemente falsificadas. O passaporte de um dos piratas no vôo 11 foi alegadamente encontrado nos destroços: “atravessa a bola de fogo, de um dos lados do avião, e aterrissa no solo, imaculado”.

Mas algo aconteceu. Durante seis meses, disseram que tinham o passaporte. Opa, se temos, então temos a prova! Mas de repente o fulano aparece e diz que está vivo! Muitos destes 19 homens ainda estão vivos:

Abdulaziz Al-Omari: “não acreditei quando o FBI me colocou na sua lista. Deram o meu nome e a minha data de nascimento, mas não sou um bombista suicida. Estou aqui. Estou vivo. Não faço idéia de como se pilota um avião”. The Telegraph, 23/09/2001.

Pelo menos seis dos “piratas” ainda estão vivos. O FBI, até hoje, não reviu a sua lista. Nenhuma prova, alguma vez, relacionou qualquer um dos “piratas”, vivos ou mortos, com Osama Bin Laden.

3.       Osama Bin Laden

Claro que ainda andamos atrás do Saddam Hussein... quero dizer, hum, Bin Laden, ele, ele, ele... (George W. Bush)

A administração Bush ordena ao FBI  e às Secretarias para se afastarem das investigações que envolvem a família Bin Laden, incluindo dois familiares de Osama Bin Laden que viviam, adivinhem, em Falls Church, Virginia, logo ao lado do Quartel General da CIA! (janeiro de 2001)

Quando já era um dos criminosos mais procurados dos EUA, há registros de ele ter passado duas semanas no Hospital Americano de Dubai, foi tratado por um médico americano e visitado pelo agente local da CIA.

Não vimos uma única prova que ligue Osama Bin Laden ao planejamento do ataque de 11 de setembro. Esta omissão nas provas que relacionam Osama foi-nos ‘dada’ como necessária porque Bin Laden, num vídeo alegadamente encontrado no Afeganistão, admitiu a responsabilidade nos ataques. Esta confissão é hoje aceita por todos como prova, mas o homem neste vídeo tem pele mais escura, bochechas maiores e um nariz mais largo do que Osama Bin Laden, em todos os outros vídeos dele. Parece haver mais uma vez uma falsificação de prova!

“Em 1976, o irmão mais velho de Osama, Saleem Bin Laden, contratou um homem no Texas, chamado Jim Bath, para lidar com todos os investimentos nos Estados Unidos da família Bin Laden. Acontece que Jim Bath é também um amigo de longa data de George W. Bush... As ligações entre os Bush e Bin Laden tornaram-se mais claras quando George Herbert Bush fez uma viagem à Arpabia Saudita, em 1.998 e 2.000 para se encontrar com a família Bin Laden em nome da companhia Carlyle Group”. (Michael Ruppert – ex-agente da Polícia de Los Angeles)

George H. W. Bush tinha uma reunião com o irmão mais velho de Osama, Shafig Bin Laden, na manhã do 11 de setembro, a serviço da Carlyle Group. A Carlyle Group é uma das maiores empresas, a nível mundial, no ramo da Defesa, que continua a tirar gigantescos dividendos na “Guerra ao Terrorismo” após o 11 de setembro, bem como das guerras no Afeganistão e no Iraque.

4.       Pentágono

Como poderia alguém, num avião com 60 toneladas, 40 metros de largura, 14 metros de altura, atravessar este edifício? O avião, antes de atingir o Pentágono, executou uma espiral 270° para baixo e, Hani Hanjour, o piloto, era conhecido por ser um péssimo piloto que não conseguiria sequer voar um ‘teco-teco’ em segurança: “ele não se preocupou com o fato de não ter conseguido acabar o curso. Estou até hoje espantado como conseguiu voar até o Pentágono... Ele não conseguia voar de maneira nenhuma” (empregado da Escola de vôo AZ – relatório do New York Times – 05/04/2002).

Não há bancos, bagagem, corpos. Nada mais senão tijolos e pedras. A explicação oficial é de que o intenso calor do combustível vaporizou o avião inteiro. O vôo 77 tinha dois motores Rolls Royce feitos de uma liga de aço e titânio, e cada um pesava seis toneladas. É cientificamente impossível que 12 toneladas de aço e titânio se tenham evaporado por causa do combustível. “Também nos disseram que houve corpos que foram passíveis de identificação através de suas impressões digitais ou de seu DNA. Que tipo de fogo pode vaporizar alumínio e aço temperado e deixa cadáveres intactos?” (Dr. David Ray Griffin, autor de “The New Pearl Harbor” e “The 9/11 Comission Report: Omissions and Distortions”)

Da inspeção que fiz, não tive prova que houvesse algum avião que tivesse despencado no Pentágono, e como eu disse, as únicas peças visíveis que sobraram, são suficientemente pequenas para se apanharem à mão. Logo a seguir ao ataque, agentes do governo apanharam os destroços e os levaram. Toda a grama foi preenchida com cascalho, de modo que qualquer prova forense ficasse literalmente encoberta. Os vídeos de câmeras de segurança, que mostrariam o que realmente atingiu o Pentágono, foram imediatamente confiscados por agentes do FBI. E o Departamento de Justiça até hoje tem se recusado a divulgá-los. Se estes vídeos provassem que o Pentágono foi mesmo atingido por 757, a maioria de nós assumiria que o Governo os teria divulgado.

5.       Shanksville

Parece que não há nada ali, com exceção de um buraco na relva. Basicamente é isso mesmo. A única coisa que se vê de onde nós estávamos,é um enorme buraco na terra e algumas árvores partidas. Vêm-se algumas pessoas a trabalhar na área, mas pelo que podemos ver, não há aqui nada de relevante. – Alguns pedaços de destroços maiores? – Não, nada. Nada que se possa confirmar que um avião caiu aqui.

O filme mostra imagens de destroços de aviões que caíram: avião comercial na Nigéria e o vôo 93 que caiu em Shanksville.

6.       As Torres 1, 2 e 7 do WTC

“ – Teoria da panqueca, em que os fogos, apesar de não derreterem o aço,aqueceram o suficiente de forma a que os andares, enfraquecidos pelo choque dos aviões, se soltassem da estrutura metálica, despencando em uma reação em cadeia. Antão, através dessa teoria, e que é a oficial, esperava-se ver uma pilha de andares, uns em cima dos outros, e o eixo metálico das colunas erguido. “

“O eixo metálico de cada uma das torres gêmeas consiste em 47 colunas de aço maciço. Se as plataformas dos andares tivessem se soltado delas, essas colunas ainda se ergueriam umas dezenas de metros no ar.”

“O avião não cortou nenhuma daquelas colunas.” “Nós desenhamos as Torres para agüentarem o impacto de um Boeing 707 de qualquer lado”. (Les Robertson – engenheiro estrutural do WTC) “O edifício suportaria facilmente o embate de vários aviões” (Frank A. Demartini – gerente de construção WTC)

“... então o avião se chocou com o edifício... está me dizendo que o edifício está desenhado para agüentar um buraco desse tamanho e ainda assim se agüentar?” “ – Sim”   (Aaron Swirsky – arquiteto do WTC)

Se soltasse uma bola de bilhar do topo do WTC, a 110 andares de altura, levaria 8 a 10 segundo até atingir o solo, sem encontrar qualquer tipo de resistência (a queda do WTC levou pouco mais de 10 segundos). As Torres Gêmeas caíram a uma velocidade semelhante à velocidade de queda livre. Duzentas mil toneladas de aço fragmentaram-se e explodiram ao longo de 150 metros. Isso significa que os andares se fragmentaram a uma média de 10 andares por segundo. Não há nenhum cenário do ‘efeito panqueca’ em quedas de edifícios que lhes permita que caiam à velocidade de queda livre.

– E o que permite fazer isso? O que pode mover a massa do caminho?

– Explosivos

47 enormes vigas de aço no núcleo, que estavam interligadas, como é que simultaneamente desapareceram por completo? (Dr. Steven Jones – professor de física, BTU) Parece que aquelas colunas foram cortadas. “A maneira de fazer isso é cortá-las em um determinado ângulo” (fala de um perito em demolição controlada), e é mostrada uma imagem dos destroços das colunas do núcleo com um corte semelhante.

“Repare na forma do ‘corte’ e como está derretido... com metal fundido” “Eu comecei a olhar para o metal fundido... em todos os 3 edifícios, ambas as torres, nos destroços, nas caves, e no edifício 7 haviam peças de metal fundido” . Ao longo de seis semanas após o colapso, foi documentada a existência de locais com calor superior a 1.100°C nos destroços. Isso é 260°C mais quente do que a queima do combustível de um avião pode atingir.

“Você vai lá embaixo e vê aço fundido, aço fundido a correr por canais como se você estivesse numa fábrica, como lava num vulcão”. O aço fundido foi encontrado 3, 4 e 5 semanas depois, quando os destroços estavam sendo retirados. Aço fundido foi também achado debaixo da Torre 7! “Eu olho para os relatórios oficiais, eo que eles falam sobre o metal fundido? Não dizem nada! Espera isso lá, pois são provas importantes”. (Dr. Steven Jones – professor de física, BTU)

De onde vem aquilo? A Termite é tão quente que pode cortar o aço, aço de estruturas por exemplo, como uma faca através da manteiga. Os produtos produzidos são ferro derretido e óxido de alumínio, que some geralmente como poeira. Há imensas nuvens de pó. É de se esperar, quando se misturam estes químicos em grandes escalas. Através da análise microscópica do aço fundido do WTC e das microesferas ricas em metal na poeira, Dr Steven Jones encontrou vestígios exatos, não só do composto explosivo ‘Termite’, mas também devido ao conteúdo altamente sulfuroso, de ‘Termate’ – uma marca patenteada de ‘Termite’, usada na indústria de demolições: “poças de metal fundido foram achadas por baixo das duas torres, após o colapso, e do edifício 7, que sequer foi atingido por um avião” . (Dr. Steven Jones – professor de física, BTU)

Parte do problema é que a maioria das pessoas simplesmente não soube muito sobre o edifício 7, devido ao extraordinário segredo que envolveu essa queda. A Torre 7 era um arranha-céu de 47 andares que caiu às 17h25 e não foi atingido por nenhum avião. Ele tinha incêndios em um ou dois andares e foi abaixo por aquilo que todos conhecemos como demolição controlada. As demolições são exatamente assim: uma cova no meio, e logo a seguir o edifício vem abaixo, quase em queda livre. Primeiro se destrói um dos pilares principais para que o edifício caia sobre ele mesmo e a Torre 7 apresentou a clássica cova, ou onda, das demolições. A coluna central foi a primeira a ser destruída o que a fez não afetar as estruturas dos edifícios próximos, a alguns metros de distância.

A explicação do Governo para todos os três colapsos foi o fogo. Nunca, antes ou depois do 11 de setembro, nenhum edifício com estrutura metálica caiu devido ao fogo. As características do colapso das Torres 1, 2 e 7 se encaixam perfeitamente na tese de que foi uma demolição controlada.

Ah... por acaso eu falei das explosões na cave, que ocorreram segundos antes do choque do primeiro avião? “O nosso escritório ficava no andar B-1. Eu estava falando com um supervisor por volta das 8h46 e de repente ouvimos BOOOM! Uma explosão tão forte que nos fez levantar no ar. E veio da cave, entre os níveis B-2 e B-3. E quando eu ia comentar, ouvimos BOOOM! Era o impacto do avião no topo”. (William Rodrigues – empresário há 20 anos no WTC)

“Ia pelo corredor principal quando... explodi. Isto é, o impacto da explosão mandou-me para o chão e foi quando tudo começou a acontecer... e de repente um grande impacto aconteceu de novo, os forros falsos começaram a cair, os lustres... você sabe, tem que atravessar o hall WTC1 para o WTC 2, e de repente aconteceu tudo outra vez. Foi uma outra coisa, que atingiu-o no chão e percebemos que foi alguma coisa na cave, as paredes desabavam por todos os lugares. Quer dizer, sei que pessoas morreram na cave, pessoas ficaram com as pernas partidas na cave, pessoas que tiveram cirurgias reparadoras devido a traumas faciais causados pela queda de paredes...”. (Phillip Morelli – estava no sub-solo 4 da Torre Norte)

7.       NORAD

“De acordo com os procedimento operacionais padrão, se o controle de vôo da AFA nota o que quer que seja que possa sugerir um possível ataque terrorista, os controladores têm de entrar em contato com os seus superiores SE NÃO CONSEGUIR RESOLVER O PROBLEMA EM CERCA DE UM MINUTO. OS SUPERIORES PEDEM À North American Aerospace Command (NORAD) que enviem ou direcionem caças para saber o que está se passando. A NORAD envia uma ordem para a base aérea mais próxima com caças em alerta e, apesar das interceptações demorarem normalmente por volta de 10 minutos, nesse caso decorreram cerca de 80 minutos antes que algum caça fosse avisado.

Um erro de palmatória. Nenhum único avião de reconhecimento da Força Aérea Americana muda de rumo (em direção ao alvo) sem que seja tarde demais. Nenhum caça chegou perto dos aviões. E se estavam tão confusos, será que foram confundidos deliberadamente a ponto de não conseguirem responder?

A razão pela qual não sabiam para onde ir foi porque uma série de exercícios de guerra sobrepostos e confusos estavam ocorrendo e envolviam falsos sinais de radar anordeste do setor defensivo aéreo.

- FAA: olá Boston Center TMU, temos aqui um problema. Temos um avião desviado em direção a Nova York e precisamos que alguém envie alguns F-16 ou algo do gênero. Ajudem-nos!

- North East Air Defense Sector: isto é real ou é um exercício?

Havia outro exercício (“Vigilant Warrior”), que na realidade, segundo uma fonte da NORAD, consistia de um exercício de assalto aéreo, ocorrendo ao mesmo tempo. Com apenas oito aviões disponíveis, e que tinham de ser enviados aos pares, eles estavam lidando com 22 possíveis assaltos, no dia 11 de setembro, de forma que não conseguiram distinguir o que era exercício de guerra e o que era real.

Em 2000, a NORAD fez 67 interceptações: 100% de eficácia! Em 11 de setembro falharam quatro vezes em um dia! Na manhã desse dia, Dick Cheney estava encarregado de todas as ordens da NORAD, num bunker de comando debaixo da Casa Branca. Em pelo menos um, dos muitos exercícios de guerra em curso naquela manhã de 11 de setembro, aviões tomados de assalto sendo guiados em direção a edifícios era o cenário.

8.       A Comissão do 11 de setembro

Página 172: o governo dos Estados Unidos não foi capaz de determinar a origem do dinheiro usado nos ataques de 11 de setembro. Enfim, a questão é ‘insignificante’.

“As autoridades americanas não conseguiram localizar a fonte dos fundos. E a afirmação mais espetacular e ridícula de todas é que, por fim, é de pequena conseqüência. É de uma conseqüência massiva”. (Michael Meachier – membro do parlamento inglês)

“Não importa quem pagou o 11 de setembro?”

O colapso da Torre 7 foi reconhecido como sendo difícil de explicar, o relatório da Comissão do 11 de setembro admite, implicitamente, não conseguir explicar a queda deste edifício, ao sequer mencioná-lo.

“Sr. Presidente, por que o Senhor e o Vice-presidente insistem em aparecer juntos perante a comissão do 11 de setembro? – Porque a Comissão quer nos fazer perguntas, e é por isso que estamos reunidos, e estou ansioso por esse encontro para responder às perguntas. – A questão, por que estão em conjunto e não em separado, sendo que foi esse o pedido da Comissão? – Porque é uma boa chance para ambos respondermos às questões que a Comissão irá fazer, e eu estarei pronto para as responder”.

“Você acha que eles deveriam se impor falar pelas suas próprias palavras? Devem ir sob juramento? – Sim, em público.” (diálogo entre repórteres)

Quando Bush e Cheney se encontraram com a Comissão do 11 de setembro, só o fizeram segundo as suas condições:

  1. Aparecer juntos.
  2. Nunca sob juramento
  3. Nenhuma imprensa ou familiares foram autorizados a assistir
  4. Nenhuma gravação de qualquer espécie foi admitida
  5. Nenhuma transcrição foi permitida

“ – Não acha que as famílias merecem uma transcrição ou testemunharem...” (repórter)

“ – Adam! Você perguntou isso ontem e vou te dar a mesma resposta...” (Presidente Bush)

“O relatório final foi unânime. Isso significa que se houve alguém que tenha tido algum tipo de objeção, esse fato foi retirado do relatório. Descobrimos que Philip Zelikow – diretor do relatório da Comissão do 11 de setembro – não só serviu aos interesses da administração Bush, pois foi a pessoa que escreveu um memorando preliminar para o conselho de Segurança Nacional da Administração Bush, como foi também o indivíduo que escreveu a estratégia de guerra usada para a guerra no Iraque, sendo amigo próximo de Condolezza Rice. Queremos que ele se demita!”

“Não há literalmente nada no relatório que a Administração Bush não tenha aprovado”. Podemos perceber, então, a razão pela qual a comissão, sob a liderança de Zelikow, ignorou todas as provas que nos apontam para a verdade: que o 11 de setembro foi uma operação de ‘bandeira falsa’ com a pretensão de angariar fundos para um novo nível de imperialismo.

9.       Terrorismo

Terrorismo: 1) uso sistemático do terror, manifestação violenta ou intimidação, para gerar medo.

GERAR MEDO...

 O filme mostra diversos trechos de discursos de representantes do governo, incluindo o presidente Bush:

“armado com facas. Armado com químicos, armas biológicas e nucleares... fanáticos... terroristas... 11 de setembro... assassinos... 11 de setembro... terroristas... terroristas... Al Qaeda... terroristas... armas nucleares... terror... 11 de setembro... terror... terror... terror... diabo... 11 de setembro... 11 de setembro... terroristas... guerra e perigo... 11 de setembro... terrorismo... terrorismo global... terrorismo... terrorismo... terrorista... terrorista... terrorista... terrorista... os terroristas... terroristas... terroristas... terroristas... 11 de setembro... terrorismo global... terroristas... terroristas... terroristas... 11 de setembro... terrorismo mundial... terroristas... terroristas... 11 de setembro... terrorismo global... terroristas... armas de destruição em massa... 11 de setembro... terroristas malvados...

Terrorismo. As palavras são repetidas hipnoticamente: terrorismo, ameaça terrorista. E, claro, acredita-se ligado à Al Qaeda. A tão chamada “guerra ao Terrorismo” nos ficou tão presente, 24 horas por dia, como se disso dependesse a nossa existência!

“Um dia os nossos netos irão olhar para trás e perguntar: como foi ganha a guerra contra o terrorismo?” (presidente Bush, em discurso no pentágono)

"Toda a elite de chefia Norte Americana vê o terrorismo como o meio preferencial, para gerar coesão social, para fornecer um inimigo imaginário à sociedade para os manter unidos. De acordo com a teoria Neocon de Carl Scmitt, tem de se ter a imagem de um inimigo para se ter uma sociedade. Uma coisa muito perigosa porque, agora, significa que toda a ordem social, partidos políticos, vida intelectual, políticos em geral, estão todos montados num Ito monstruoso”. (Webster Tarpley – historiador)

Praticamente todos os suspeitos de terrorismo detidos foram libertados sem acusações, mas isso somente depois de aparecerem nas primeiras páginas dos jornais para que todos os vissem.

Terrorismo: 2) técnica usada pelos governos para manipular a opinião pública de modo a cumprir uma agenda.

MANIPULAR...

“Veja o que a CIA fez a este país. O que nos fizeram é inacreditável. Olhem para os atos terroristas que têm ocorrido. A CIA está por detrás da maior parte, se não de todos eles. Tivemos os ‘marine barracks’, depois a embaixada do Quênia, tivemos o Pan Am 103, o ataque ao USS Cole, o atentado de Oklahoma City, o WTC em 1.993”. (voz de Ted Gunderson – ex-chefe do FBI)

“... eles ajudaram os terroristas no primeiro atentado ao WTC, construíram a bomba e tiraram o ‘brevet’”. “Há um infiltrado, Emad A. Salem, um ex-oficial do Exército Egípcio de 43 anos, a quem foi atribuída a missão de preparar a bomba, que foi falar com um supervisor do FBI e ele disse: ‘nós vamos colocar uma bomba falsa, certo?’ e o coordenador do FBI disse: ‘não, vamos colocar uma bomba real”. (voz de Ted Gunderson – ex-chefe do FBI)

O FBI, de fato, realizou o ataque de 1.993 ao WTC. Eles contrataram Emad Salem e pagaram-lhe 1 milhão de dólares e deram-lhe explosivos reais, um detonador e disseram-lhe para construir a bomba e repassar a todos aqueles que ele controlava, para que pudessem atacar o complexo do WTC.

“Infelizmente, para eles, só morreram seis pessoas, insuficiente para fazer passar a legislação. Então o que ocorreu foi que, dois anos mais tarde, 19 de abril de 1995, em Oklahoma City, o Edifício Murrah explode, 168 pessoas morrem... um ano depois a lei anti-terrorista, que retira inúmeros direitos constitucionais e civis, é aprovada. (voz de Ted Gunderson – ex-chefe do FBI)

Sete de julho de 2005, Londres: três vagões de metro e um carro bomba explodem, matando 56 pessoas. Naquela manhã, coincidentemente, um “exercício anti-terrorista” estava ocorrendo, onde se simulava exatamente esse cenário de atentado, exatamente nas mesmas estações, exatamente à mesma hora.

“ – Eram 9h30 da manhã. Estávamos neste momento realizando um exercício de uma empresa com mais de mil empregados em Londres, baseado em detonações simultâneas que ocorreriam precisamente nas estações onde ocorreram nessa manhã, e por isso ainda sinto arrepios”.  (Voz de Peter Power – consultor em abordagens de urgência)

“ – Para que não restem dúvidas, vocês estavam realizando um exercício para saber como lidar com essa situação, e aconteceu enquanto faziam o exercício?” (repórter)

“– Precisamente”. (Voz de Peter Power – consultor em abordagens de urgência)

Sim, isso mesmo. EXATAMENTE O MESMO CENÁRIO DE ATENTADO, EXATAMENTE NAS MESMAS ESTAÇÕES, EXATAMENTE À MESMA HORA.

"Suponha-se que acreditemos que houve alguma espécie de coincidência. Houve também um exercício anti-terrorista que aconteceu em 7 de julho. E novamente, como em 11 de setembro, estavam falando nos mesmos locais e nas mesmas estações, exatamente à mesma hora em que o verdadeiro ataque aconteceu... providenciando um acobertamento, para aquilo que, devem ser, operações orquestradas de alguma maneira pelo Estado”. (David Shayler – ex-agente da Inteligência Britânica, MI-5)

A Verdade: elementos criminosos do Governo dos EUA encenaram um ataque terrorista de “falsa bandeira” aos seus próprios cidadãos, de forma a manipular a opinião pública para que apoiasse a sua agenda. Eles têm feito isso há anos. O 11 de setembro foi um trabalho interno. Desde 11 de setembro, os gastos militares aumentaram em 100 bilhões de dólares por ano, nos EUA. Recentemente, todos os direitos civis foram suprimidos. A “guerra preventiva” já matou cerca de 400 mil civis... e isso é somente o começo!.

“Eu estou absolutamente chocado com o número de pessoas neste país que não pensam. Dão-nos a idéia de que um tipo de árabe qualquer, lá nas montanhas, financiou o ataque mais elaborado ao EUA. E quando pensamos na quantidade de americanos que foram mortos em Nova York e acreditamos, como eu acredito, que isso foi um trabalho elaborado com minúcia, este é um padrão operacional que os nazistas já utilizaram, e eles o têm usado vezes sem conta. A América tem sido sugada, mais uma vez”.

“Você pensa que alguém que vive numa gruta pode enganar o sistema NORAD? Pensa que alguém que vive numa gruta fez com que tudo isso acontecesse?

“Eu não vou dizer a vocês que as coisas estão ruins. Todos sabem que elas estão ruins. O dólar compra tudo. Os bancos fazem a festa. Os donos das lojas têm armas embaixo dos balcões. Os pequenos se tornam cada vez mais selvagens. Não parece haver ninguém que saiba o que fazer e não há como acabar com isto. Sabemos que o ar está impróprio para respirar e a comida imprópria para comer. Mas sentamo-nos para assistir nossas televisões enquanto alguns jornais locais nos dizem que hoje houveram 15 homicídios e 63 crimes violentos, como se fosse assim que deveria ser! Nós sabemos que as coisas estão ruins. Pior que ruins, estão malucas. É como se tudo em todo o lado estivesse maluco, e não saímos mais à rua. Sentamo-nos em casa e, lentamente, o mundo em que vivemos vai ficando mais pequeno, e tudo o que dizemos e: ‘por favor, pelo menos nos deixem sozinhos nas nossas salas de estar’. Deixem-me ficar com a minha tostadeira e a minha TV, e eu não digo nada. Deixem-me em paz! Mas eu não vou vos deixar em paz, pois eu quero que enlouqueçam!... Não quero que protestem, nem que se revoltem. Não quero que escrevam ao seu congressista, porque não saberia dizer a vocês o que escrever. Eu não sei o que fazer sobre a depressão, a inflação, os russos e o crime nas ruas. Tudo o que sei é que primeiro tens de enlouquecer! Tem que dizer: ‘sou um ser humano, raios! A minha vida tem valor!” (jornal televisivo, em 1976)

Torre 2: há muita fumaça, muito ruim... está mal, escuro e ácido... milha mulher pensa que estou bem. Liguei-lhe dizendo que estava saindo do edifício. Estava bem e depois BANG!... somos três – duas janelas partidas... Oh meu Deus! (e o prédio cai...)

Nós interrompemos esse programa para uma mensagem do Presidente!

“Senhora e senhores! A palavra ‘segredo’ é repugnante, numa sociedade livre e aberta, e nós somos, como pessoas, inerentemente e historicamente, opostos às sociedades secretas, a juramentos secretos e procedimentos secretos. Pois opomo-nos, em qualquer parte do mundo, a conspirações monolíticas e rudes que, sigilosamente vão expandindo suas esferas de influência, em infiltração em vez de invasão, em subversão em vez de eleições, em intimidação em vez de liberdade de escolha. É um sistema que tem recrutado vastos recursos humanos e materiais para a construção de uma teia, uma máquina altamente eficiente que combina operações militares, diplomáticas, de inteligência, econômicas, científicas e políticas. As suas tarefas são escondidas e não publicadas. Os seus erros são enterrados e não divulgados. Os desacordos são silenciados e não louvados. Nenhuma despesa é questionada, nenhum segredo é revelado. Foi por isso que o legislador grego Sólon decretou crime cidadãos de acovardarem perante a controvérsia. Estou pedindo ajuda na tremenda tarefa de informa e alertar o povo americano. Confiante de que, com a sua ajuda, o homem será aquilo que nasceu para ser: livre e independente.” (John Fitzgerald Kennedy)

(a imagem mostra Kennedy sendo alvejado na cabeça, em seu carro aberto)

Ítens Relacionados

Temos 61 visitantes e Nenhum membro online

Informações do Portal

Visitantes
819
Artigos
1368
Weblinks
27
Ver quantos acessos teve os artigos
9804402