Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

Extraído do Jornal Diário do Nordeste

 

Cid Barbosa

Cid Barbosa

 

CLÁUDIO AZEVEDO: “Tenho uma formação científica e carrego uma grande carga de religiosidade”

 

 

LIVRO
Uma ponte entre a religião e a ciência

Ciência e religião nem sempre estão em caminhos diferentes. E, em seus fundamentos, as religiões têm uma proximidade muito grande. Estes são alguns pontos discutidos em “Órion - Filosofia, Religião e Ciência”, livro do médico Cláudio Azevedo, que será lançado hoje, às 19 horas, no auditório da Unimed

O livro de Cláudio Azevedo tenta quebrar alguns tabus. Ele questiona as religiões e revela uma aproximação da ciência atual com a espiritualidade. “Depois do descobrimento da Física Quântica, a ciência chegou em um beco sem saída. E saiu em busca de teorias que já existiam na espiritualidade, principalmente nas culturas indiana e chinesa”, explica o autor. Para que o leitor possa fazer uma comparação, ele mostra qual a visão da ciência e da religião sobre o universo, a terra e a vida.


“Órion - Filosofia, Religião e Ciência” é o primeiro volume a ser lançado de uma série de três livros que nasceu de uma longa pesquisa de Cláudio Azevedo. “Tenho uma formação científica e carrego uma grande carga de religiosidade. Isso ajudou a escrever os livros. Mas a idéia das obras veio quando comecei a descobrir muitos pontos em comum nos fundamentos das religiões”, diz. No livro, entre as semelhanças, ele mostra que não foi só Jesus Cristo que teria nascido de uma virgem. “Tem outras religiões que relatam que a segunda pessoa da trindade nasceu de uma virgem, como Buda e Krishna”, informa.

O segundo capítulo do livro é todo dedicado às coincidências encontradas nas bases das religiões. E evidencia as semelhanças íntimas entre elas, embora aparentemente diferentes em seus cultos e crenças. “Órion - Filosofia, Religião e Ciência” também tenta mostrar que a cruz não é um símbolo cristão. “A cruz vem antes de Cristo. No Egito antigo, estava associada à dualidade. Ao divino e ao material. Ao céu e a terra, Deus e o homem”, comenta.

O autor demonstra a existência de ciclos que se alternam, de predominância materialista e espiritual, numa espiral ascendente de conhecimento. “Cada vez mais o materialismo leva a uma forma mais elevada de espiritualismo, que, por sua vez, leva a uma forma mais elevada de materialismo, alternadamente”, conclui.

Segundo ele, a Física moderna, no momento, mostra uma nova visão da realidade, em que todas as coisas estão interconectadas e um senso profundo de espiritualidade faz-se novamente presente. “Nos sentimos realmente unidos ao próximo, à natureza e ao cosmos como um todo, de uma forma que a humanidade conhecida nunca esteve, em perfeita harmonia com todas as tradições espirituais”, avalia.

Cláudio Azevedo é médico, formado pela Universidade Federal do Ceará, com especialização em Cirurgia Geral e Laparoscópica. O autor é autodidata em estudo comparado das religiões, teoria da Física Quântica, Psicologia Transpessoal e Tanatologia. E é aprendiz da Universidade Holística Internacional, membro da Loja Teosófica Unidade e estudante das lições Self-Realization Fellowship, instituição fundada por Paramahansa Yogananda, na Califórnia.

Categoria: Cláudio Azevedo