Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

“Um certo dia um homem esteve aqui...”

Ansiosamente esperado,

Desesperadamente perseguido,

Gloriosamente educado.

 

“Sua voz falava só de amor”

Veio trazer a Lei do Amor

O Pai-Mãe de Amor, de

Amor incondicional

 

“Todo gesto seu era de amor”

Não só palavras, mas atos.

Amar a todos, inclusive os inimigos,

Perdoar a todos pois: “eles não sabem o que fazem”.

 

“E paz, ele trazia no coração”

E a todos, a paz do Senhor deixava,

Na paz do Senhor ele morreu,

Na paz do Senhor ele renasceu.

 

E o que aprendemos com Ele?

Aprendemos a repetir suas palavras e a declamar sua poesia...

Aprendemos a cobrar dos outros seus mandamentos...

Mas quantos de nós falamos somente de amor?

Quantos de nós atuamos somente em nome do amor?

Quantos de nós temos a paz do Senhor no coração?

 

“Ajunteis tesouros que nem as traças nem a ferrugem consomem”

Mas seguimos nossa febre consumista de nosso regime capitalista.

 “Buscai o reino de Deus e tudo isso virá em acréscimo”

Mas seguimos achando que a real busca do homem é uma busca por alimento, roupa e abrigo.

 

Quem sou eu? De onde vim? Para que estou vivo e consciente disso?

Transformamos a data escolhida para refletir sobre as palavras Dele

Em uma vil e farta festa consumista de troca de presentes.

Mas no outro dia seguimos com nossas práticas religiosas

Numa tentativa vã de abrandar nossas culpas.

 

Porque não se reflete sobre a vida, sobre a nossa vida?

Porque não se reflete sobre o que podemos fazer pelo outro?

Porque não nos juntamos para fazer algo de nobre?

Do que temos medo?

Do que temos vergonha?

Categoria: Cláudio Azevedo

Temos 70 visitantes e Nenhum membro online

Informações do Portal

Visitantes
819
Artigos
1368
Weblinks
27
Ver quantos acessos teve os artigos
10064723