Avaliação do Usuário
PiorMelhor 
INDIVÍDUOS HÁ QUE ESTÃO À FRENTE DE OUTROS DE SUA RELIGIÃO

A fé não raciocinada é polêmica e frágil. Por isso, pode desmoronar a qualquer momento.
A doutrina dos dons ou carismas do Espírito Santo é confusa. Aliás, carismático significa médium. E muitos ainda pensam erroneamente que se trate dos dons do Espírito Santo da Santíssima Trindade, que devemos respeitar, mas que só foi instituído doutrinariamente do jeito que é, por influência da heresia de Montano, no Concílio Ecumênico de Constantinopla (381). Paulo (1 Coríntios 12,4 a 7) fala nas diversidades dos dons espirituais (e não do Espírito Santo) e que o espírito é o mesmo, ou seja, o de Jesus, que comanda tudo em nosso planeta Terra, e não o Espírito Santo que era desconhecido por Paulo. Porém Jesus mesmo, raramente se manifesta diretamente, mas apenas através de outros espíritos bem evoluídos. Também no Velho Testamento, muitos espíritos manifestam-se em nome de Deus. E no Novo lemos que espíritos são enviados para o trabalho no projeto divino (Hebreus 1,14).
O Espírito Santo é o conjunto dos espíritos humanos. Tertuliano já ensinava que a alma humana é crística por natureza, pois é emanada diretamente de Deus. E Paulo disse que nós somos templos dum (como está no original grego, e não do) Espírito Santo. E esse Espírito Santo de cada um de nós já pode estar de fato atualizado como santo, enquanto que outros, os da maioria, são santos só em estado potencial, como se ainda fossem apenas sementes de espíritos santos, tal qual uma semente de maçã é, no presente, um pé de maçã do futuro, isto é, ainda não atualizado. Os vários dons espirituais de cura, de falar em línguas desconhecidas pelo fiel, de profecia etc são, pois, do próprio Espírito Santo dele, que, se for profeta do tipo nabi (médium hoje), pode também receber espíritos santos enviados por Jesus e sua equipe. E, assim, é o próprio Espírito Santo da pessoa que ora em línguas (1 Coríntios 14,14).

Indivíduos há que estão dez, 20, 50 cem, mil anos, e até mais, à frente de outros de sua própria religião. Quanto mais inspirada ou intuída for uma pessoa, mais ela vai desvencilhando-se dos erros de sua religião, e, conseqüentemente, mais próxima da verdade. E é justamente por causa dessas e outras doutrinas cristãs excêntricas é que um grupo de teólogos norte-americanos chegou à absurda tese de que Deus está morto.

E eis algumas crenças que já caducaram e que, hoje, são consideradas superstições.
Os cristãos acreditavam no absurdo de que quem morresse sem o batismo, não se salvava. E, se fosse criança, iria para um suposto lugar chamado limbo.

Em meados da Idade Média, ainda continuavam sendo vendidos pedaços de madeira como sendo fragmentos da cruz de Jesus, mesmo já tendo sido vendida uma floresta desses pedaços de madeira!

Uma curiosidade: houve uma época em que nem o próprio padre duma paróquia isolada num recanto da Europa sabia se ele continuava padre ou se se tornara pastor!

E, enquanto isso, autoridades eclesiásticas católicas ensinavam que a mãe de Lutero copulou com o diabo para ela ficar grávida do reformador religioso!

Doutrinas de que há um outro Deus, que é literalmente filho do homem, tem mãe e outras estão desacreditadas, pois elas são mitológicas. Entretanto, como o fiel não quer ir de encontro da sua igreja, enganando os outros e a si próprio, ele faz de conta que crê nessas doutrinas, apelando para o silêncio, em vez de abjurá-las, mas ao mesmo tempo, não abrindo mão de ter as crenças de outras religiões!
Categoria: José Reis Chaves