A Fé Bahá'i

"Bem-aventurado quem se associa a todos os homens em espírito de perfeita bondade e amor".

 

"Tão forte é o poder da unidade, que pode iluminar a Terra inteira...
É verdadeiramente um Homem aquele que hoje se dedica ao serviço de toda a raça humana...
Convivei com todas as religiões em amizade e concórdia para que se inale de vós a doce fragrância de Deus. Vigiai para que a chama da tola ignorância não vos domine quando entre os homens. Tudo procede de Deus e a Ele retorna. Ele é a origem de tudo e n'Ele todas as coisas findam.”
 

A Fé Bahá'í (também chamada equivocadamente de Bahaísmo) é uma das novas religiões mundiais independentes. O seu fundador, Bahá'u'lláh (1.817-1.892), é considerado pelos bahá'is como o mais recente na linha dos Mensageiros de Deus.

Os Bahá´is consideram que Deus, o criador, como sendo Um, sua Religião também é uma só. Entretanto ela evolui de acordo com o progresso e desenvolvimento do Homem, ou seja, a cada época Deus educa a humanidade através de seus manifestantes: Krishna, Abraão, Moisés, Buda, Zoroastro, Cristo, Maomé, O Báb e Bahá´u´lláh. Os Bahá´is acreditam que seguindo e amando a Bahá´u´lláh estão em verdade, aceitando todos os Manifestantes do passado e desta forma eliminando todo tipo de preconceito religioso.

Um dos símbolos utilizados na Fé Bahá'í é uma estrela de nove pontas que significam as nove religiões monoteístas: Sabeísmo, Hinduísmo, Judaísmo, Zoroastrismo, Budismo, Cristianismo, Islamismo, Fé Babí - Babismo e Fé Bahá'í. O tema central da mensagem de Bahá'u'lláh é o conceito de que a humanidade representa uma única raça e que é chegado o dia de sua unificação em uma única sociedade global.


Figuras centrais

A Fé Bahá'í nascida na Pérsia (hoje Irã) em 1.844, foi fundada por Mírzá Husayn' ‘Ali (1.817-1.892), conhecido como Bahá'u'lláh ("A Glória de Deus"). Em 1.844, Siyyid 'Ali-Muhammad (1819-1850), conhecido como o Báb ("A Porta"), proclamou uma nova Revelação de Deus, dando origem a Fé Bábí. Além de anunciar ser o Qá'im aguardado pelos muçulmanos, o Báb afirmava que sua principal missão era preparar a vinda de um profeta ou manifestante de Deus ainda maior que Ele próprio, a quem chamava "Aquele que Deus tornará Manifesto".

Em 1.863, em Baghdad, Bahá'u'lláh proclamou ser o Prometido pelo Báb e pelas demais religiões mundiais. Afirmou ser o portador de uma mensagem divina destinada a estabelecer a unidade mundial e eliminar os preconceitos e as divisões. Escreveu epístolas aos principais soberanos da época, exortando-os à paz e à concórdia. Sofreu aprisionamento, tortura e exílios durante 40 anos até ser aprisionado definitivamente em Akká (Acre) na Terra Santa, hoje Israel.

Designou seu filho mais velho Abbás Effendi (1.844-1.921), conhecido por Abdu'l-Bahá ("0 Servo da Glória"), o "Centro do Convênio" – o único intérprete autorizado de seus ensinamentos, ao qual todos os Bahá’is deveriam se voltar. 'Abdu'l-Bahá, por sua vez, designou seu neto, Shoghi Effendi Rabbani (1.897-1.957), o "Guardião da Causa de Deus", responsável único pela continuação do trabalho de interpretação autoritativa. Em 1963 foi eleita a Casa Universal de Justiça – órgão máximo da Fé Bahá'í – que agora é responsável por guiar mundialmente as atividades Bahá'ís.
 


Administração e Ensinamentos

Não existe sacerdócio na Fé Bahá'í, nem qualquer forma de profissionalismo religioso. As atividades são coordenadas por corpos de nove membros eleitos pelos Bahá'ís. São as Assembléias Espirituais locais e nacionais. Nas eleições Bahá'ís não existe qualquer tipo de candidatura, nomeação, campanha eleitoral ou partidos. Todos os Bahá'ís maiores de 21 anos podem votar e ser votados.

 

Ensinamentos


Unidade

O princípio básico da Fé Bahá´í é a unidade mundial, acreditam que essa unidade é não apenas possível, como também inevitável. Não se vanglorie o Homem em amar a sua pátria, antes tenha ele glória em amar a sua espécie. A terra é um só país e os seres humanos são seus cidadãos. - Bahá´u´lláh

Bahá´u´lláh traz uma série de condições para que seja estabelecida uma paz universal, entre elas encontram-se:

  • A necessidade da unidade mundial

  • Eliminação de todos os tipos preconceitos

  • Igualdade de direitos e oportunidades para homens e mulheres

  • Uma educação compulsória e universal

  • Uma língua auxiliar comum a todos os países

  • Fim dos extremos de pobreza e riqueza

  • A ciência e a religião devem caminhar juntas

  • Os bahá´ís trabalham para a restauração da vitalidade espiritual da humanidade como um todo através de educação e da conscientização de que o ser humano é um ser espiritual.

Cada pessoa é soberana sobre sua alma

Bahá´u´lláh ensina que:

  • Cada indivíduo deve fazer sua própria e independente busca da verdade.

  • Os bahá´ís entendem que cada ser humano possui inerente uma capacidade de encontrar o verdadeiro caminho para Deus, e que para isso necessita antes limpar seu coração de todo o preconceito, e apego a este mundo.

  • Um bahá´í não nasce bahá´í; embora possa receber de seus pais (bahá´ís) uma educação bahá´í, aprender o que significa ser um bahá´í assim como a conduta que deve ter em relação a sociedade, é somente ao quinze anos de idade (idade da maturidade espiritual) que decidirá se aceita ou não a revelação de Bahá´u´lláh. A aceitação provém de sua completa auto-compreensão; os pais não devem interferir na escolha de seus filhos.

  • Bahá´u´lláh exorta a todos a não seguir cegamente o caminho de outras pessoas, mas abrir a mente e por si só buscar incessantemente a Verdade, incentiva a mais completa investigação, se for necessário, para que se possa comprovar a veracidade de Sua Palavra.

Propósito da vida

Para os bahá´ís, uma das questões que atormentou a humanidade durante séculos, foi revelada por Bahá´u´lláh e muito bem detalhada por seu filho, Abdu'l-Bahá. Os bahá´ís acreditam que o propósito da vida nesse mundo é desenvolver qualidade espirituais como: bondade, justiça, honestidade, veracidade, compaixão, cortesia e etc. e que estas qualidades são preciosidades concedidas por Deus, são essas qualidades que nos fazem a "imagem e semelhança" dEle. Abdu'l-Bahá explica que assim como um bebê no ventre materno, desenvolve seus membros e sentidos para preparar-se para este mundo material, nós também, precisamos desenvolver qualidades para o mundo espiritual. Embora para o bebê na barriga seu desenvolvimento físico possa parecer inútil, visto que este recebe da mãe tudo o que precisa, é imprescindível para sobreviver nesse mundo. As qualidades espirituais são também imprescindíveis para a alma.

Dou testemunho, ó meu Deus, de que Tu me criaste para Te conhecer e adorar. Confesso, neste momento, minha incapacidade e Teu poder, minha pobreza e Tua riqueza. Não há outro Deus além de ti, o Amparo no Perigo, O que subsiste por Si próprio. - Oração do Meio Dia - Bahá´u´lláh

 

Conceito de Vida e Morte

Segundo a Fé Bahá´í a alma como sendo imortal, após sua separação com o corpo, continuará a desenvolver-se eternamente através dos mundos espirituais de Deus até que atinja Sua presença. O estado da alma após a morte dependerá das realizações feitas por ela durante este mundo material.

O conceito de céu e inferno para os bahá´ís é verdadeiro, mas foi explicado pelos Manifestantes anteriores de maneira simbólica para um entendimento do povo da época, já que não é possível o ser humano compreender a essência da alma nem ter uma visão sobre os mundos espirituais. Para os bahá´ís, paraíso = proximidade de Deus e inferno = distância de Deus. O mau não existe para os bahá´ís, ele é simplesmente a ausência do bem, assim como a sombra ou escuridão é ausência de luz. Embora cada alma, nos mundo espirituais, evolua eternamente, a conduta nesse mundo material é um legado que determinará o estado da alma durante toda a eternidade.

Sabe tu, em verdade - a alma depois da sua separação do corpo, continuará a progredir até que atinja a Presença de Deus, num estado e condição que nem a revolução dos tempos e séculos mudará, nem os acasos, e as vicissitudes deste mundo poderão alterar. - Bahá´u´lláh

 Bahá´u´lláh enfatiza também, que não devemos fazer o que é certo com a esperança do paraíso, nem medo do inferno. Devemos servir a humanidade com toda nossa capacidade simplesmente por amor a Deus.

 

Casas de adoração

Os templos bahá'ís têm todos nove entradas, pela simbologia da estrela e de que o número nove é o maior dígito, o número da perfeição. Assim conhecidas como Casas de adoração pelos bahá´ís, esses templos são construídos unicamente para a realização de orações. Não há nenhuma espécie de culto nessas casas, é permitido a livre entrada de pessoas de todas as religiões. Lá, cada pessoa pode recitar as palavras reveladas por Deus, sejam estas de Krishna, Moisés, Zoroastro, Buda, Cristo, Maomé, Báb ou Bahá'u'lláh. Um dos templos mais conhecidos e visitados é o templo da Índia em Nova Delhi, sua arquitetura simboliza uma flor de lótus.

Os templos bahá´ís simbolizam a Unidade de Deus, Unidade de todos os Seus profetas, Unidade da Humanidade.

Categoria: Órion Volume 1