Tantra


O Despertar da Consciência

Tantra significa "expansão da consciência". Para a prática tântrica é necessário muito respeito pelo ser humano, muito amor-próprio, nenhum preconceito e vontade de amar e ser amado. Com os dois princípios (masculino Shiva e feminino Shakti), pode-se abrir todas as portas do universo e viajar em forma de paixão.

Sexo é sem sombra de dúvida, uma magia perfeita. A proposta de Tantra é buscar na energia do ato sexual, a força necessária para ter mais vitalidade e é através da excitação que os seres transformam o desejo, o gozo, em pura energia para todo o organismo.

O Despertar do Kundalini

Não é possível ensinar como se desperta o Kundalini, pois é muito perigoso. O que se pode fazer é dar uma ótima explicação do que vem a ser essa força magnífica. Mas, caso haja a possibilidade de contar com um Mestre (oculto ou não), torna-se mais fácil o desenvolvimento do "Kundalini" próprio.

A energia do Kundalini possui uma força que anima a mente corpórea e mantém o equilíbrio energético dos sete chakras principais. Ele é a manifestação de uma grande deusa (Shakti), adormecida que permanece enrolada e enroscada no chakra basal (1º chakra). Pode ser desperta por muitas técnicas de Yoga e através do controle da respiração.

Quando bem desenvolvida, o Kundalini atinge um canal tríplice, no centro da coluna vertebral, que sobe até a parte superior do crânio, onde está localizada a "Porta de Brahma", o "lótus das mil pétalas", no qual penetra uma energia sublime, conhecida como o "Fohat" e que vem das altas esferas. Entra-se, então, em sintonia com as vibrações sutis que emanam do cosmo, provocando estados de êxtase (nirvana) que transcendem o ego, fazendo a percepção consciente do indivíduo explodir em luz (iluminado).

Atingido esta ponto, será produzido uma substância muito procurada no Oriente, conhecida como o "néctar da imortalidade" (amrita), e que transforma totalmente o indivíduo.

Existem fatores importantíssimos para que o resultado seja positivo como que no começo seja, pelo menos, satisfatório, tanto para si como para o parceiro, que o parceiro ou parceira entrem em acordo e que conheçam as genitais de cada um.

A mulher necessita se conscientizar de que está no século XX e partindo rapidamente para o século XXI, o terceiro milênio. Ela precisa conhecer e experimentar o estado orgástico plenamente satisfatório, sem frustrações. Tentar-se-á ensinar os segredos de como sentir orgasmos intensos e prolongados (transmitindo obviamente aos parceiros, a delicada arte de dar esse prazer máximo às parceiras).

Os "Chakras" não podem ser esquecidos, no caso contrário uma "Mercedes" está sendo pilotada sem motor.

O clitóris é a fonte do orgasmo externo, pois existe um pequeno ponto dentro da vagina que também é fonte de orgasmos. O clitóris é muito semelhante a uma pequena pérola, que é de fácil percepção do pênis.Quando tocado, o clitóris pode mover-se e, quando a mulher está excitada, ele aumenta, chegando a ficar o dobro de seu tamanho, retraindo-se quando se aproxima o clímax sexual. Pelo fato de o clitóris ser muito sensível, é necessário muito cuidado e muita paciência.

O ponto orgástico interno (localizado atrás do osso público, no teto do canal vaginal, cerca de quatro a cinco centímetros de distância da abertura vaginal), também poderá ser tocado, melhor ainda, deve ser tocado após a parceira ter sentido orgasmo com os toques em seu clitóris.

Para que as coisas acorram de forma agradável, a parceira deve permanecer bem a vontade, para entrar na mesma energia e relaxar. Há necessidade de interação total, máxima segurança e nenhum constrangimento para dar e receber um importante e merecido momento. Fazer no parceiro(a) tudo o que gostaria de receber é uma experiência por demais gratificante. Por estranho que pareça, o desejo do outro pode ser igual ao próprio. Dessa forma, é muito bom sentir as batidas do coração e a respiração do parceiro. É necessário pois, relaxar, respirar fundo e expirar lentamente.

O Ritual


Para uma melhor e mais rápida sintonia, parceiros podem, e devem, fazer uso de frases ou palavras íntimas. Elas ajudam , sobremaneira, na obtenção de um alto clima de excitação... Depois disso:

1 - Deitar a parceira de costas. Fazer com que ela relaxe, respire e expire suavemente e ir procedendo da seguinte forma: fechar os olhos dela e acariciar todo o corpo, todas as partes do corpo. Não esquecer que os movimentos circulares excitam mais (perguntar como ela prefere), tocar seus lábios com a ponta dos dedos, descer até os pés e, com as pontas dos dedos deslizar pelas coxas e pernas. Massagear a vagina até umedecê-la. Subir delicada e suavemente até os seios, brincando um pouco com eles. A vagina deve ser umedecida entre um carinho e outro, descer pelo corpo, beijando-a pelo mesmo caminhos percorridos com a pontas dos dedos. Beijá-la e pedir que se vire, passar a ponta dos dedos delicadamente na nuca da parceira, percorrer as costas, nádegas e pés. Não esquecendo os movimentos circulares. Subir executando o mesmo exercício, caso preferir, estes feitos com penas: a parceira deve respirar profundamente pelo nariz, contar até três, encher os pulmões e expirar pela boca, agora contando até cinco, desfrutar do momento, beijando-a por todo corpo.

2 - Tomar um bom banho untar, o próprio corpo com óleos e perfumes preferidos e fazer o seguinte: colocar uma roupa sensual, preparar o ambiente com velas, incenso e música suave. Neste ambiente, criar um círculo (pode ser simplesmente visualizado, desde que a parceira saiba onde está localizado). O círculo pode estar ao redor da cama, ou em lugar confortável. Os parceiros devem então sentar-se em posição de ioga, tentar compartilhar o amor e a abundância. Fechar olhos e imaginar toda a riqueza da Mãe Natureza recebendo e abençoando a união. Rios, cachoeiras, pássaros, jardins, sol, lua, flores, árvores, jardins, montanhas e mar.. deixar a mente fluir, voar... mentalizar um símbolo comum aos dois. O símbolo será muito importante a partir de então. Começar a respirar profundamente. É hora de despertar o Kundalini e assim, abrir os sete chakras - centros de energia, de onde sairá o orgasmo corporal. Com alguns exercícios, a serem mais adiante desenvolvidos, o "Eu" será elevado e toda a energia sexual canalizada através dos chakras. Dessa forma, experimentar-se-ão sensações orgásticas radicalmente novas, transformando o ato sexual em pura arte. A parceira deve, então, sentar-se nas costas do parceiro (de forma que o parceiro encoste as costas nos seios dela). Relaxar e respirar.... o pênis do parceiro deve agora ser segurado pela mulher. Relaxar, respirar fundo e expirar lentamente. Isto deve ser feito por alguns minutos. Deixe o clima invadir os corpos e o ambiente. A mulher deve agora deslizar suas mãos pelos chakra do parceiro, em movimento ascendente e sempre em círculos. Massagear os sete chakras, um a um. Ela não deve esquecer que sempre retornar ao pênis para massageá-lo; certamente os corações dos dois estarão mais acelerados. Melhor seria dominar as batidas e equilibrar as sensações através de uma correta respiração. De qualquer forma, isto não impede as palavras doces e carinhosas, gritos ou sussurros. Procure libertar-se, tentando apenas controlar as batidas do coração. Nessa hora, a parceira deve deitar-se de costas. Massagear os pés dela, subindo até a altura das coxas, massageá-la, então, entre o ânus e a vagina, com movimentos circulares(chakra, em sânscrito, significa "roda"), por algum tempo. Subir as mãos para percorrer lentamente cada um dos chakras, deitar-se sobre ela , beijando-a e desfrutando de um amor puro, com muita tranqüilidade e serenidade. Mentalizar somente coisas muito boas e desfrutar... Depois de exercitar várias vezes, a sensibilidade irá aumentar.

3 - Tomar um bom banho e dar continuidade: preparar o local com muito carinho e pensamentos bons, acender um incenso e colocar um copo com água no recinto, os parceiros devem agora estar abraçados e transmitindo os mais puros sentimentos e vontades. Relaxar e sentar-se de forma que a mulher esteja virada para o sul e o homem para o norte. Acomodar-se, ambos de olhos fechados, dedicar o ritual a Mãe Natureza e pedir-lhe proteção. Começar exercitando a respiração: respirar profundamente com o nariz e contar até três. Encher os pulmões, expirar pela boca e contar até cinco lentamente. Repetir o exercício, no minuto sete vezes. Juntar as palmas das mãos na altura do plexo solar. Ambos, fechar os olhos e mergulhar em meditação. Mentalizar agora uma luz esverdeada vinda do alto, que penetre pelo chakra coronário e desça pelo frontal, percorrendo também o rosto e cada parte dos corpos, até alcançar o Kundalini. Quando chegar, transformar a luz verde em vermelha, percorrendo todos os chakras com as duas cores. Ela do lado direito e ele do lado esquerdo – deitar assim sobre a cama. Esfregar as palmas das mãos e imaginar uma luz rosa saindo delas e transmitir a luz ao parceiro e vice-versa. Procurar captar ao máximo esta energia, porque é puro amor. Trocar beijos e abraços mútuos e, atingindo o auge da excitação, o casal deve proceder a penetração. A mulher contrairá os músculos e lábios vaginais, cuja intensidade dependerá somente de treinamentos e ele mexerá suavemente o pênis. Quando o casal estiver bem próximo do orgasmo, deve parar e dedicar a momento à grande Mãe Natureza. É FUNDAMENTAL QUE O HOMEM NÃO EJACULE; aqui está o segredo do Tantra (Maythuna) – a não ejaculação. Caso ocorra ejaculação, o ritual deverá ser reiniciado em outra ocasião. É importante salientar que o êxtase e o prazer não estão na ejaculação. O homem poderá atingir todas as sensações mesmo sem ejacular. Basta experimentar. Toda a energia resultante ainda poderá ser compartilhada pelo organismo. Atingir o Maythuna (auge do prazer sexual) é - segundo os orientais - "... a ampliação do jogo sensorial e prolongamento da excitação".

4 - Este ritual também engloba integração com os cristais. Fazer o seguinte: torna-se necessário trabalhar os cristais com, no mínimo, sete dias de antecedência, os cristais fumê, ametista, cristal rosa e pedra-da-lua. Todos podem ser pequenos. O ideal é que se comece no primeiro dia de lua nova. Os cristais deverão ser mantidos perto do corpo o tempo todo, o homem energizará o cristal fumê e a ametista e a mulher, o cristal rosa e pedra-da-lua. Durante a noite, os cristais devem permanecer embaixo dos travesseiros e ser sentidos diariamente, sempre com elevação de pensamentos.

No dia o ritual, acender vela branca sobre um pratinho branco ou incolor: uma em cada um dos quartos cantos do quarto e queimar incenso durante o ritual (também se possível, bem antes) para propiciar um novo clima ao ambiente. Ao lado de cada vela, pingar gotas de Seiva de Alfazema. Juntar os cristais, um ao lado de cada vela. Se os parceiros forem casados, devem fazer toda a abertura ritualística logo de manhã, preparando o ambiente acendendo as velas e queimando muito incenso. Os cristais devem permanecer juntos às velas, nos pratinhos. Para os parceiros solteiros, a coisa pode fluir muitas vezes com muito mais ansiedade (principalmente se for a primeira vez), mas também cabe uma certa preparação, basta queimar mais incenso (sem exageros). A luz também é coisa importante: se possível, deixá-la bem fraquinha, a ponto de perceber a fumaça do incenso. Se tiverem casa, melhor colocar uma luz rosa. É conveniente ainda salientar que os cristais têm de ser roliços, buscando a forma perfeita de círculo. Tomar um bom banho e cantar algum mantra. À medida que a água estiver caindo sobre o corpo, fechar os olhos e pedir para o elemento (água) retire todas as coisas ruins de caminho. Que se abram novos horizontes, que os corpos permaneçam mais leves e os espíritos, mais sutis. Apanhar os cristais e os pratinhos e colocá-los perto do casal, em lugar de fácil acesso e desde que do lado norte. Fechar as portas e sair do quarto (ou do ambiente). Do lado de fora, meditar sobre o que irá ocorrer, com postura de paz e harmonia. O momento deve ser oferecido à Grande Mãe Natureza. Ao mesmo tempo, deve-se pedir-lhe licença, sentar, de forma que o homem esteja olhando para o norte e a mulher, para o sul. O homem deve agora apanhar o cristal fumê com a mão direita e então, deve pegar o cristal rosa com a mão direita e a pedra-de-lua com a esquerda. O casal deve agora controlar um cristal branco ou incolor entre os pés. Respirar e começar a mentalizar um portal brilhante de luz esverdeada. Imaginar nesta hora, estar adentrando o portal (uma loucura.... um estado que não se pode perder..): o tocar suave dos sinos - "dom.., dim..., dom.. dim.." os corpos, com certeza, encontram bem mais leves. Continuar penetrando o portal, em clima cada vez mais de muita paz, muita tranqüilidade e harmonia... Mentalizar agora um belíssimo jardim com alguns cristais (uns aqui, outros ali). Imaginar, de repente, um jardim magnífico, somente de cristais. Olhar bem para cada um destes objetos maravilhosos. Tentar transmitir os pensamentos aos cristais. Sem medo transmitir principalmente os pensamentos mais íntimos, projetando-os para o frontal (sexto chakra). A mente deve continuar fluindo, navegando. Deixar a própria mente transparecer para o parceiro. Dizer o que tem vontade, desde que o outro ouça com bastante abertura. Se não quiser falar, simplesmente ouça. Experimente conversar sobre os desejos mais secretos e sobre os sonhos mais eróticos... Por um instante, os parceiros, tornam-se o universo, no exato momento da criação. O casal torna-se, por incrível que pareça, a mais pura energia. Ambos devem se deitar e deslizar os cristais pelo parceiro. Curtir cada curva do corpo do parceiro, fazendo mil carícias. Gostoso também é acariciar os genitais do parceiro com o próprio cristal; o casal deve agora beijar-se muito, muito. MAS O HOMEM NÃO DEVE EJACULAR.

Obs: Todos os exercícios acima são básicos. Obviamente, para um tântrico ou tantrista, alguns, elementos e fases são dispensáveis, visto possuírem o pleno controle mental.

 

Texto retirado do livro:

"Sexo - A Energia Transcendental"

Peter Greenrock

Categoria: Magia e Rituais