Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

Da mesma forma que o coração, o trato gastrintestinal também consegue desempenhar suas funções de uma forma independente do SNC. Nos seus sete metros de extensão, possui uma área absortiva equivalente a uma quadra de tênis devido a suas vilosidades e microvilosidades.

É responsável por cerca de 80% de nosso potencial imune 77:75, pela nutrição e interfere até no nosso comportamento. Entre os hormônios e neurotransmissores já detectados, secreta: acetilcolina, noradrenalina, serotonina, melatonina, somatostatina, hormônio de crescimento, fator de crescimento neuronal (NGF), etc..

Parece que, enquanto o SNC e o SNCa se encarregam de encontrar meios de sobrevivermos enquanto indivíduos e enquanto espécie, cabe ao Sistema Nervoso Entérico (SNE) modular as atividades daqueles sistemas, digerir alimentos e absorver substratos que são transformados em energia informativa ou em fonte energética geral para todo o organismo.

O SNE é composto de cerca de 100 milhões de neurônios que envolvem o trato gastrintestinal, que trabalham independentemente dos comandos cerebrais, e de cerca de três mil que o conectam ao SNC 77:46. Esse trabalho independente faz com que o SNE seja o responsável por coordenar todas as secreções digestivas e hormonais intestinais, e essa coordenação inteligente é independente do SNC. A existência de alguma forma de memória intestinal, ainda não bem compreendida, pode ser inferida devido à presença de grande quantidade de receptores para o ácido glutâmico (NMDA), substância fundamental à formação de memória.

Da mesma forma que o SNCa, o SNE está ligado energeticamente ao nosso sistema imunológico. Enquanto o SNCa modula a atividade do timo, na síntese e ação dos linfócitos T, o SNE é o responsável pela maior produção de linfócitos B do organismo. Assim, enquanto o SNCa modula nossa imunidade celular (agindo nas infecções por vírus e na destruição de células neoplásicas), o SNE modula a nossa imunidade mediada por anticorpos (infecções bacterianas e reações alérgicas a antígenos estranhos ao organismo).

Hoje, outro ramo importante de pesquisa médica é a busca de compreensão da relação entre hormônios e neurotransmissores intestinais e cerebrais: o eixo cérebro-intestinal. Cerca de 40 substâncias já foram detectadas com algumas delas tendo suas funções bem estabelecidas. Por exemplo, a secretina, hormônio sintetizado pelas células intestinais que aumenta a secreção pancreática, está sendo correlacionada com o autismo 77:117. Diversas substâncias são encontradas em ambos sistemas nervosos, como o TRH, a somatostatina, as encefalinas, a colecistocinina, as neurotrofinas, a gastrina, entre outros.

A colecistocinina, que no sistema digestivo aumenta a secreção biliar e pancreática, no SNC é um importante regulador do apetite. A bombesina, que estimula a secreção de gastrina pelo estômago (hormônio que aumenta a sua secreção ácida), além de estar envolvida nos mecanismos da dor também interfere nos mecanismos da obesidade. O TRH, que no SNC (hipotálamo) atua no controle da temperatura corporal, da sede, da fome e da função sexual, é encontrado também no intestino, mas com função ainda desconhecida.

Outros exemplos são o neuropeptídeo Y, com propriedades anticonvulsivantes naturais, que está também envolvido na síndrome do ovário policístico e no aumento da ingestão de alimentos (efeito orexígeno), principalmente carboidratos. Já a grelina (Ghrelin), encontrada no hipotálamo, cólon, intestino delgado e estômago, ativa a secreção do hormônio do crescimento (GH) pela hipófise e aumenta a avidez por comida. Doses altas de melatonina diminuem os níveis de grelina, e, talvez por isso, ao avançar da idade, com a diminuição da produção de melatonina, há uma tendência a se ganhar peso, pelo aumento da grelina circulante.

A somatostatina, hormônio hipotalâmico que inibe a secreção hipofisária do GH, também é secretado pelo pâncreas com a função de diminuir a acidez gástrica e a motilidade intestinal. Como diminui a concentração do GH, tem provado ser eficiente no combate ao câncer e da obesidade. Pela sua ação na motilidade intestinal, é usado também no controle de diarréias graves.

A melatonina é secretada a partir da serotonina durante a noite (seu pico é às 2h da manhã). É o maior antioxidante natural do organismo (durante a noite destrói os radicais livres no SNC) 77:57. Fabricada pela pineal, o é também em grande quantidade pelo plexo intestinal 77:58 (sua concentração intestinal é quase quatro vezes maior que a sérica), sendo essencial na absorção intestinal do zinco (que atua na formação de nossas células de defesa) 77:68. Além de ser um excelente imunoestimulante, com ação no tratamento do câncer, devido à sua ação no metabolismo do zinco e da serotonina, é importante também no tratamento da depressão.

A serotonina é sintetizada durante o dia (sob influência da luz solar) principalmente no intestino, onde ocorre 90% de sua produção 77:56. Está intimamente relacionada com a motilidade intestinal (depressão por falta de serotonina dá constipação), com a digestão e com a absorção 77:17. Está associada com o nosso bom humor, com a capacidade de encontrar soluções para os nossos problemas, de selecionar as melhores amizades, de manter um trabalho prazeroso e de enxergar na vida os seus aspectos mais positivos (inteligência emocional) 77:18: a alegria de viver. Estimula a formação de uma substância conhecida como P53, que atua sobre a célula cancerosa bloqueando o crescimento tumoral 77:148. Inúmeras associações entre nossas emoções e o câncer já são estudadas pela Psiconeuroimunologia (Cf. adiante).

A serotonina é sintetizada a partir do aminoácido triptofano, presente principalmente nas proteínas do leite, do ovo e da carne, mas também em frutas como a banana. Depende da boa absorção do zinco para sua secreção 77:17 e da presença da vitamina B6 (que tem a sua disponibilidade diminuída pelo uso de anticoncepcionais) para a sua produção. O triptofano tem sua absorção aumentada, assim como todos os aminoácidos, com a liberação de insulina. A ingestão de carboidratos estimula a secreção de insulina que aumenta a absorção de triptofano que aumenta a síntese de serotonina pelo intestino, que melhora a depressão, por isso a avidez por doces em estados assim.

Além da grelina, o triptofano absorvido também estimula a síntese do hormônio do crescimento – somatotrofina ou GH (por isso ele é usado para aumentar a massa muscular), principalmente pelo intestino. O GH é o maior trunfo moderno no combate aos sintomas do envelhecimento, síntese de proteínas musculares, síntese de imunoglobulinas, metabolismo cerebral, cicatrização óssea, saúde e bem-estar geral do corpo 77:129.

Por último, o peptídeo vaso-intestinal (VIP) e o óxido nítrico têm importantes funções no organismo como um todo. O VIP, além de participar na motilidade intestinal, participa ativamente na secreção alguns hormônios hipotalâmicos e hipofisários (como a prolactina). Além de uma função no equilíbrio entre fome e saciedade, também age, junto com o óxido nítrico, na ereção peniana.

O óxido nítrico é o mais fantástico e versátil hormônio do corpo humano. Na forma de gás, sintetizado tanto no SNC quanto pelo SNE, através da ação de uma enzima (a oxido nítrico sintetase) sobre o aminoácido arginina, o óxido nítrico não precisa de receptores para agir e entra fácil em todas as células. Substâncias, como os flavonóides presentes no cacau e nos chocolates amargos e meio-amargos, estimulam a síntese do óxido nítrico. Regula a pressão arterial e facilita a ereção peniana pela sua ação vasodilatadora, inibe a angiogênese e bloqueia o crescimento tumoral, participa nos mecanismos da memória, relaxa a musculatura intestinal, ajuda a evitar placas de ateroma nas paredes das artérias (uma das causas dos infartos do miocárdio), estimula a ação de genes supressores tumorais através do estímulo à síntese do P53, e age até nos folículos pilosos ativando o crescimento de cabelos.

Categoria: Órion Volume 2

Temos 47 visitantes e Nenhum membro online

Informações do Portal

Visitantes
819
Artigos
1368
Weblinks
27
Ver quantos acessos teve os artigos
9743021