Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

“A retidão é o hábito constante de praticar naturalmente, sem esforço ou luta, aquilo que consideramos certo, tanto quanto possamos [com a nossa mente] ver”.

Igbal Kishen Taimni (1.898-1.978)

 

“A mente possui três poderes principais: a memória, a compreensão e a imaginação”. 22:24

Clara M. Codd

 

Desde a década de 1.980, uma série de experimentos levada a efeito por Michael M. Merzenich mostrou que o cérebro se molda pela experiência (SCIAM 17:71). Hoje está comprovado que quando se muda um comportamento, uma forma de pensar, ou quando se exercita o aprendizado de coisas novas, o cérebro se modifica em função disso, independente da idade do indivíduo. O nosso cérebro é o que nós pensamos, o que nós sentimos e o que fazemos, então a mente molda o cérebro e não o cérebro molda a mente. E mais, através de técnicas de biofeedback é possível se ensinar regiões cerebrais a executarem tarefas diferentes quando preciso, substituindo a função de regiões cerebrais defeituosas.

Essa neuroplasticidade, basicamente, é baseada no incremento de conexões sinápticas. Essas mudanças interligam os neurônios formando uma nova cadeia a ser percorrida para evocar determinado movimento, sensação ou pensamento. Pessoas que perdem um membro tem suas áreas corticais referentes ao membro perdido redirecionadas a outras funções:

“O cérebro foi feito para mudar”. (SCIAM 17:71)

Michael M. Merzenich

Neurocientista

A mente influencia também, direta e indiretamente, todas as atividades de nossos órgãos. Praticantes adiantados de yoga (ou de alguma forma de meditação) podem, voluntariamente, controlar o sistema nervoso autônomo, controlando a circulação, a respiração e outras funções desse sistema. As técnicas de biofeedback já comprovam cientificamente isso. Iogues avançados conseguem a parada total de seus sinais vitais, num estado em que a sua mente atinge a superconsciência, ficando totalmente separados Consciência e corpo físico.

É a nossa mente o mais notável objeto da criação, reflexo da Mente Divina. Mas, imersa na materialidade, é também a responsável, como vimos anteriormente, pelo princípio separativo, o centro do egoísmo e o criador da ilusão da existência separada, existente em nós: a doença mental básica da humanidade.

“Aquele que deseja conhecer a realidade, fundamento deste universo fenomenal, tem que primeiro controlar a mente e depois transcendê-la” 90:85.

Igbal Kishen Taimni (1.898-1.978)

 

Toda a nossa conduta, enquanto personalidade, é controlada pela nossa mente, tanto consciente quanto inconsciente. E essas duas faces de nossa energia mental estão em constante intercâmbio: fatos indesejáveis à consciência “se mudam” para a inconsciência e, em diversas ocasiões, lembranças inconscientes vêm à consciência (em sonhos ou déjà-vu, por exemplo). Da mesma forma que temos que desenvolver a nossa mente consciente até transcendê-la, devemos trazer toda a energia represada no nível inconsciente até o consciente para ser também transcendido. Todo o progresso humano está em se conseguir trazer todas os nossos aspectos ao consciente, para poderem ser conhecidos, trabalhados e transcendidos, a fim de chegar à meta bem-aventurada e luminosa humana: nos tornarmos plenamente conscientes de nossa existência multidimensional.

Quando voltamos nossa mente consciente atrás no tempo, olhamos para o nosso passado e acessamos um compartimento energético conhecido como memória. Quando voltamos nossa mente para frente no tempo, pomos em movimento uma fonte energética conhecida como imaginação e quando mantemos a energia mental focada no presente, utilizamos a faculdade mental da concentração para perceber o mundo e compreendê-lo: a mente compreensiva. A principal função da mente é criar pensamentos e imagens que invoquem puras e grandiosas emoções, invoquem o Amor: o sangue de nossas almas.

Enquanto a força de vontade guia a mente consciente, a imaginação guia o inconsciente, e a imaginação tem um poder superior à da vontade, pois embora desejemos firmemente algo, se imaginarmos a façanha impossível de nada adiantará o esforço. Por outro lado, imaginando o impossível, a nossa força de vontade fará milagres. O controle do inconsciente se inicia pelo controle de nossa imaginação. Direcionar nossa imaginação para imagens felizes, pensamentos elevados e sugestões positivas trazem transformações conscientes visíveis que geram efeitos positivos a nível físico.

Categoria: Órion Volume 2

Temos 24 visitantes e Nenhum membro online

Informações do Portal

Visitantes
819
Artigos
1368
Weblinks
27
Ver quantos acessos teve os artigos
9633362