Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

Como surgiu a oração do Santo Rosário?

A saudação que o Arcanjo Gabriel fez à Maria ('Ave cheia de graça, o Senhor está contigo!' - Lc 1:26-38) e a outra saudação feita por Isabel quando ela foi a Ain Karin para ajudá-la nos três últimos meses de gravidez ('Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre'), pois Isabel era idosa e precisava de companhia, deram origem à primeira parte da oração Ave Maria.

Em 431, o Papa Celestino I () convocou o Concílio de Éfeso, condenando o nestorianismo e reconhecendo Maria como Mater Dei, a Mãe de Deus (Theotókos). No dia do encerramento do Concílio, depois de palavras admiráveis dos Padres Conciliares, que ressaltaram as virtudes e as prerrogativas especias da Virgem Maria, sua Santidade o Papa Celestino I, emocionado e com lágrimas nos olhos, ajoelhou-se perante a assembléia e, respeitosamente, saudou a Virgem Maria com as palavras: 'Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém!' dando origem à segunda parte da oração Ave Maria.

A oração do Santo Rosário surgiu aproximadamente no ano 800 à sombra dos mosteiros, como Saltério dos leigos. Dado que os monges rezavam os Salmos (150 versos), os leigos, que em sua maioria não sabiam ler, aprenderam a rezar 150 Pai-nossos. Com o passar do tempo, se formaram outros três Saltérios com 150 Ave Marias, 150 louvores em honra a Jesus e 150 louvores em honra a Maria.

Todavia, a primeira manifestação efetiva a respeito do Terço ou Rosário ocorreu no século XIII. No ano 1.204, o padre Domingos de Gusmão (São Domingos), fundador da Ordem dos Padres Pregadores (os Dominicanos), estava preocupado com os poucos frutos que seus zelosos missionários conseguiam, apesar das exaustivas e perseverantes pregações. A heresia dos albigenses se alastrava pelo sul da França e se difundia em todas as regiões, negando a encarnação de Jesus e o dom divino concedido às pessoas, de gerar e criar cristãmente os seus filhos.

São Domingos teve, então, uma visão da Virgem Maria, lhe ensinando a rezar a Ave Maria como um meio poderoso para a conversão o coração dos hereges e outros pecadores daquele tempo. São Domingos e seus missionários acolheram a orientação divina e rezaram diariamente o Rosário a Nossa Senhora com muito fervor e, assim, conseguiram resultados admiráveis na conversão de milhares de pessoas aos ensinamentos da Igreja Católica.

No ano de 1.408, o monge cartuxo Henrique de Egher (ou de Calcar) redigiu um poema intitulado 'Il Psalterium Beatae Mariae', no qual estimulava uma combinação dos quatro saltérios, dividindo as 150 Ave Marias em 15 dezenas e colocando um Pai-nosso no início de cada uma delas. Em 1.500 ficou estabelecido, para cada dezena de Ave Marias, a meditação em um episódio da vida de Jesus ou Maria, e assim surgiu o Rosário de quinze Mistérios, divididos em três grupos de cinco Mistérios: mistérios Gozosos, Dolorosos e Gloriosos.

Dessa divisão surgiu o termo popular de um Terço, para cada grupo de cinco Mistérios, e de Rosário para o conjunto de 3 Terços. A palavra Rosário significa 'Coroa de Rosas'. A Virgem, em aparições a diversas pessoas, havia revelado que cada vez que rezavam uma Ave Maria lhe era entregue uma rosa, e por cada conjunto de 150 Ave Marias lhe era entregue uma coroa de rosas. A rosa, sendo considerada a rainha das flores, fez com que o Rosário fosse considerado como a rosa de todas as devoções e, portanto, a mais importante.

Em 2.004, ano do Santo Rosário, Sua Santidade, o Papa João Paulo II, institutiu os Mistérios Luminosos - sobre a vida pública de Jesus. Dessa forma, o Rosário passou a ser composto de quatro partes que não mais deveriam ser chamadas de Terço, e sim de Quarto. Entretanto, o Santo Padre optou por deixar permanecer o nome Terço, considerando que jpa estava firmado no coração dos devotos da Virgem Maria, e assim ficou.

Categoria: Órion Volume 2