O Ilusório e o Real (Deus) - A Visão dos Egípcios

VISÃO DOS EGÍPCIOS

Hermes ensinava que O TODO, em si mesmo, é e sempre será incognoscível. Todas as teorias, conjecturas e especulações dos teólogos e metafísicos a respeito da natureza íntima d’O TODO, são esforços inúteis de mentes finitas para compreender o segredo do Infinito. Como tal, se desviarão sempre de suas finalidades como humanos, aqui na Terra.

 

“Uma pessoa que prossegue em tais investigações vai, de circuito em circuito no labirinto do pensamento, prejudicar o seu são raciocínio, a sua ação e a sua conduta, até ficar totalmente inutilizada para o trabalho da vida. É um prisioneiro. ... Nenhum de nossos pensamentos pode conceber a Deus, nem língua alguma pode defini-Lo. O que é incorpóreo, invisível, sem forma não pode ser percebido por nossos sentidos; o que é eterno não pode ser medido pelo tempo. Deus é, pois, inefável”.

 

Mas Hermes dá certas verdades conexas acerca de Sua existência, que a mente humana é obrigada a aceitar: O TODO é tudo que é real, O TODO é infinito no tempo (sempre existiu), no espaço (tudo está contido nele, pois se houvesse algo fora d’Ele, então existiria outro TODO) e infinito em poder pois nada pode limitá-lo, restringi-lo ou acondicioná-lo, pois não há outro poder, sendo então imutável. Afirma que O TODO está acima dos conceitos humanos de matéria ou energia, que O TODO é Mente Vivente, a Infinita Mente a que o iluminado chama de ESPÍRITO. Hermes afirmava que O TODO tinha criado todo o Universo através de sua mente e a mitologia, posteriormente, disse que Ele o tinha criado através de sua palavra vibratória: “Aton fala e suas palavras se transformam no mundo, o começo de Aton é o começo dos começos, ele é eterno”.

 

Categoria: Órion Volume 1

Temos 43 visitantes e Nenhum membro online

Informações do Portal

Visitantes
819
Artigos
1368
Weblinks
27
Ver quantos acessos teve os artigos
11460177